/Velo-City 2018
Velo-City 2018 Bike na pista

Velo-City 2018

Velo-City 2018 aconteceu no Rio de Janeiro dias após o Bicicultura. O Evento ocorre entre os dias 11 e 15 de junho com uma proposta de trocar conhecimentos sobre mobilidade urbana no mundo com várias propostas e também pedidos de ajuda.

O evento foi a maior e melhor experiencia que tivemos até hoje em relação a mobilidade por bicicletas. Foram apresentados diversas implementações de diferentes partes do mundo. Todos os projetos, tiveram problemas de mudança de paradigma mas após a implementação, as pessoas elogiaram bastante.

Até o terceiro dia, tivemos duas apresentações extremamente comoventes e importantes. A primeira, abrindo o evento teve as meninas do Pretas vem de Bike, que é um coletivo feminino de Salvador que trouxe o protesto em forma de poesia. De uma forma forte, vibrante, extremamente emocionante Jamile Santana descreveu a realidade da mulher, negra de periferia que não utiliza a bicicleta como esporte mas sim de forma que possa economizar tempo e dinheiro.

Preta vem de Bike no Velo-City 2018

A segunda mais emocionante foi do prefeito de Moçambique que revelou o quanto a bicicleta não só é importante como também uma questão de sobrevivência para que possam ter acesso a água potável e assistência médica. Como uma das soluções, foi apresentado o projeto Moçambike em síntese com diversas frentes entre doações de bicicletas e compartilhamento de bicicletas na cidade de Moçambique.

Prefeito de Moçambique no Velo-City 2018

Muitos painéis, falaram sobre pedestres, compartilhamento de bicicletas, infra-estrutura para vias, intermodais.  mas ainda não abordaram valores de serviços para a população. De fato, os valores são diferentes  e as realidades financeiras também talvez esse seja o motivo de tal ausência.

Interessante salientar que muitos painéis, enfatizaram que o Brasil ainda está no início de cidade cicloviária, então muitos disseram que o Brasil atual é a Holanda na década de 70. Por isso, nós como sociedade  devemos contribuir com as políticas públicas para que juntos possamos tornar a cidade não somente ciclável como também mais acessível às pessoas com limitações.

Hoje (15/06/2018) é o último dia e o evento promete muita interação, informações e estatísticas.