/Redução de velocidade nas vias da cidade e as bicicletas

Redução de velocidade nas vias da cidade e as bicicletas

No último dia 13 de junho, nós da Bike na Pista, participamos da frente parlamentar em defesa da bicicleta que discutiu um projeto de lei (1251/19), que determina a redução de velocidades na cidade do Rio de Janeiro.
A nossa preocupação é ser mais uma lei que visa tornar a cidade mais amigável aos pedestres e ciclistas urbanos, que não tem aplicabilidade.
Para evitar isso, levantamos algumas ponderações:
– no texto há necessidade de deixar claro órgãos fiscalizadores, direitos e deveres além de estipular as devidas punições a quem não cumprir tais determinações;
– o projeto “A Caminho da Escola” da equipe coordenadoria Educação para o trânsito da CET-RIO, conseguiu melhorias em algumas ruas de escolas já contempladas pelo projeto e por isso algumas ruas já tiveram reduções determinadas apesar da classificação permitir velocidades maiores por isso precisam ser acolhidas no texto.
– A geografia e crescimento demográfico da cidade permitiram que a classificação das vias recebessem nomenclaturas diferenciadas que também há necessidade de mudança no texto inicial.
– Ao apresentarmos números, infelizmente algumas estatísticas sofrem pela sub-notificação de acidentes e suas classificações. Sendo assim, seria interessante pensarmos em parceria com as secretarias de Saúde (estadual e municipal) a inclusão dos itens “bicicleta e outros modais urbanos” para que possamos ter uma estatística com números reais.
– Infelizmente pensando na economia pública, devemos levar em consideração não apenas os números de mortos mas sim os números relacionados a incapacidade permanente ou parcial provocados por acidentes de trânsito. Esses são os que mais utilizam os serviços públicos e também o INSS.
– Atualmente em nossa cidade há tecnologias que informam o tempo de deslocamento de um ponto a outro, poderíamos utilizar essas tecnologias em um plano piloto de redução de velocidade para apresentarmos a Sociedade Civil a necessidade e também os benefícios que essa lei trará a cidade.
Achamos importante estarmos presentes nesse tipo de discussão pois nosso principal meio de locomoção é a bicicleta.

Se você tiver oportunidade, participe também das políticas públicas para que não seja pego de surpresa caso haja alguma mudança indesejada em seu município. Caso não consiga estar presente, escreva aos envolvidos para que levem suas dúvidas e necessidades a discussão. Esse é o melhor caminho para a construção da cidade.

Presidida pelo vereador Renato Cinco do PSOL, com a participação da Associação Mobirio, com a Carol Queiroz, representante da secretaria municipal de transportes, senhor Eloir Faria, ciclista Luciene Gomes e o professor da IPPUR, Juciano Rodrigues.

Apesar de não ser o foco principal, outros temas como patinetes e infelizmente as mortes de ciclistas nos últimos dias também foram abordados pelos presentes.